Tribunal Regional do Trabalho da 7ª Região

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
  • Mudar contraste
  • Acessível por Libras

A Corregedoria-Geral da Justiça do Trabalho divulgou, no dia 25 de outubro, o mais recente resultado do Índice Nacional de Gestão de Desempenho - iGest. Dentre as 1.571 varas trabalhistas avaliadas, dez unidades do Ceará estão entre as 25% com melhor desempenho no Brasil. A 1ª Vara do Trabalho do Cariri, em Juazeiro do Norte, ocupa a 12ª colocação do ranking e é a 2ª colocada no Nordeste. Os dados referem-se ao período de outubro de 2017 a setembro de 2018.

b_0_200_16777215_0_0_images_comunicacao_imagens_site_2018_outubro2018_as10mais.jpg

Além da unidade do Cariri, completam a lista das dez varas do trabalho do Ceará entre as 25% com melhor desempenho no Brasil a 2ª VT de Maracanaú (42ª), a VT de Tianguá (66ª), a 2ª VT de Sobral (159ª), a 18ª VT de Fortaleza (221ª), a 2ª VT de Caucaia (244ª), a VT do Eusébio (280ª), a 1ª VT de Maracanaú (304ª), a 16ª VT de Fortaleza (382ª) e a VT de Aracati (383ª).

Equipe da 1ª VT do Cariri, durante correição ordinária ocorrida em maio deste ano
Equipe da 1ª VT do Cariri, durante correição ordinária ocorrida em maio deste ano

Para a titular da 1ª VT do Cariri, juíza do trabalho Fernanda Monteiro Lima Verde, o destaque da Vara no iGest é fruto de um trabalho coletivo. "Esse resultado vem reconhecer a incessante busca pelo aprimoramento da prestação jurisdicional que norteia o funcionamento harmônico desta unidade na realização de todos os expedientes forenses, bem como atestar o compromisso de uma equipe que, na pessoa do diretor de secretaria, João Emanuel Bezerra Bastos, parabenizo pelo primoroso trabalho e incansável dedicação", declarou a magistrada.

Fórmula - O iGest classifica todas as unidades judiciárias de primeiro grau da Justiça do Trabalho do Brasil. "O índice é resultado de uma fórmula que considera indicadores de acervo, celeridade, produtividade, taxa de congestionamento e força de trabalho de cada unidade. Esses índices são chamados de mesoindicadores", explica Patricia Machado, secretária de Gestão Estratégica do TRT/CE.

Conforme a servidora, os mesoindicadores são compostos por microindicadores, como mostra o detalhamento abaixo:

  • Acervo: idade média do acervo “pendentes de julgamento”, acervo pendente, taxa de conclusos com o prazo vencido;

  • Celeridade: prazo médio na fase de conhecimento, prazo médio na fase de liquidação, prazo médio na fase de execução;

  • Produtividade: taxa de conciliação, taxa de solução, taxa de Execução;

  • Congestionamento: taxa de congestionamento na fase de conhecimento, taxa de congestionamento na fase de execução;

  • Força de Trabalho: produtividade por servidor e pendentes por servidor.

Conheça os critérios para avaliação das varas do trabalho aqui.

Consulte o significado dos termos utilizados aqui.

Veja o ranking nacional das varas do trabalho de todo o Brasil aqui.